beauty_and_the_beast.jpgA bela e a fera.Era uma vez uma bela e virgem mocinha que foi raptada por uma fera. A fera era grande, chifruda, bruta e avantajada. A fera enjaulou a bela por semanas, e fez dela sua prisioneira. A fera tinha planos, planos sórdidos desde um cunilingus básico à gang-bang na floresta negra. E por noites a seguir a bela virgem esperneou, gritou, cansou e dormiu, dormiu o sono mais profundo de sua jovem vida.

Enquanto dormia, a fera se aproximou, a desnudou, farejou as suas carnes, acarinhou seus pelos e sentiu a textura de sua vagina virgem. Não se conteve e a lambeu devagar e com cuidado para não despertar a sua presa, que por medo, fingia dormir.

Toda a noite, durante semanas, o mesmo ritual se repetia: a fera lambia mais profundamente a bela que fingia dormir, não mais por medo, e sim por puro tesão.

Uma noite, porém, a fera não apareceu e a virgem não dormiu. Na noite seguinte a fera aparece ofegante e ereta, a observa dormindo, desta vez, não a acarinhou, tampouco a lambeu como de costume, ao invés disso, a fera a libertou!!!

A bela deu um salto pronta a gozar sua liberdade, quando um aperto no peito lhe imobilizou. – “Fera, por noites a fio, você me lambeu e lambeu, e agora você me liberta? Não gostas mais do meu sabor? Me lambe por favor? Please???

A besta rosnando embargada respondeu: “Doce bela virgem, Eu te lambia para me conter e não te comer, o teu cabaço é delicioso, mas hoje eu….er…. eu decidi! Eu vou enfim, te comer! Tire a roupa!

A bela toda serelepe se despe e se atira nas garras da fera, que a esquarteja e a devora.

Moral da estória: Sindrome de Estocolmo, é o caralho!

Anúncios