A História Mundial foi pontuada pelo sexo. Reis e rainhas, comandantes e conquistadores, escritores, dramaturgos, músicos e todo o tipo de artista… todos eles, em algum momento, por puro interesse político ou por pura putaria, se renderam aos prazeres da carne e deixaram seu rastro (urgh) na história da humanidade Eis alguns relatos interessantes sobre alguns personagens de nossa história…

* Comecemos pela sempre enigmática Cleópatra, que, dizem os arqueólogos, era feia, nariguda e tinha cabelo ruim. Cléo começou sua vida sexual como as menininhas de hoje em dia: aos 12 anos de idade, e pior, com seu irmão, Ptolomeu. Pegou tal gosto pela coisa que nunca mais parou, criou fama e deitou na cama. Em várias, aliás. Diz a lenda que a rainha aprimorou seus dotes num bordel de Alexandria e que era capaz de receber 100 homens em uma única noite….e nenhum se decepcionava. Eis uma b*** abençoada pelos deuses, digam lá…

* Mas isso é pouco perto de outro tarado, o Rei Salomão, que durante seus 40 anos de reinado teve cerca de 700 esposas e mais de 300 concubinas. Dizem que ele podia passar dois anos de sua vida sem dormir com a mesma mulher. As “minas” do Rei Salomão, no entanto, brigavam entre si para ver quem o monarca iria escolher para passar a noite com ele. Saia até morte! Vale dizer também que, apesar de tanto desfrute, Salomão ainda teve tempo de escrever 2 livros da Bíblia (Eclesiastes e Cântico dos Cânticos), reconstruir Israel, construir um dos maiores e mais belos templos da antiguidade, ser considerado um dos homens mais sábios que já existiu e ainda por cima ser humilde e concluir que era “tudo, tudo vaidade.” – Eita cabra bom!!!!

* Já na contramão da coisa toda, a Rainha Victoria (tataravó da rainha Elisabeth II da Inglaterra) foi uma rainha orgulhosa e frígida e por isso, uma terrível repressora sexual. Pra vocês terem uma idéia, a véia não fazia a menor idéia de que lesbianismo existia até que lhe apresentaram uma lei anti-homossexualismo para aprovar. Como não sabia o que era lesbianismo e nem queria descer do salto e perguntar para seus súditos do que se tratava, tirou toda e qualquer referência ao lesbianismo da tal lei. Por causa da ignorância sexual da rainha e de seu orgulho, o homossexualismo se tornou ilegal em todo o Reino Unido, enquanto o lesbianismo é perfeitamente legal.

* Espancamento e outros fetiches sado-masoquistas eram o máximo do prazer para o filósofo e romancista francês Jean-Jacques Rousseau, iniciado no masoquismo aos 11 anos por conta de uma professora primária que o espancava cada vez que ele soletrava uma palavra de modo errado.

* Outro que adorava um sofrimentozinho: Fiódor Dostoiévski, que se realizou vivendo uma vida tuberculosa e casando-se com uma russa feia, frígida e sado-masoquista.

* Fotografar bundas alheias era com nosso amiguinho Adolf Hitler, que mantinha em secreto uma coleção de fotos delas. Inclusive algumas reais, conservadas em formol, dizem. Ele ainda adorava botas, chicotes, livros (livros???) e filmes pornográficos, em especial os judaicos (rá!). Consta que, apesar de ter se casado, morreu virgem. Isso praticamente explica toda a II Guerra Mundial e o Holocausto.

* Charles Chaplin era chegado em ninfetas. E conseguia todas elas. Pior, com aquela cara de bobo, adorava mesmo era uma suruba das boas. Agora sim, tá explicado o modo engraçado com o qual ele andava.

* Napoleão Bonaparte gostava de sexo animal: rápido, furioso e barulhento. Dizem também que, para não quebrar uma célebre tradição francesa, gostava de mulheres fedidas, vide os famosos bilhetes que mandava para sua amante, Desirèe onde ordenava: “Chego hoje. Não tome banho” – URGH! A festa do baixinho porém, acabou cedo. Aos 40 anos, uma disfunção das glândulas endócrinas acabou por reduzir seu pênis a pouco mais de 2 cm. Eis o porque ele optou por ficar de quatro e acabou perdendo a guerra.

* Aprendam com o mestre! O grande conquistador Casanova usava metade da casca de um limão como anticoncepcional: além de funcionar como barreira, fornecia a acidez necessária para matar os espermatozóides. Mas tem que ser um limão rosa, vá…se for um siciliano….fudeu!

* O grande e majestoso imperador Júlio César (aquele mesmo que Cleópatra traçou) era chamado de “o marido de todas as mulheres e a esposa de todos os homens”. Era pura política, baby!

* Hipócrates, aquele mesmo, o pai da medicina, não era lá muito chegado em sexo. Ele chegou a descrever o orgasmo como uma ” pequena epilepsia”…bem que ele poderia ter sido um pouco mais romântico, como os franceses, por exemplo,que o chamam de “pequena morte”.

* George Bernard Shaw foi seduzido aos 29 anos por uma viúva rica e véia (seduzido?..hmm..sei) Ele odiou tanto a experiência que ficou traumatizado, tornando-se celibatário, tendo repulsa ao sexo e nunca, jameis, em hipótese alguma, escrevendo sobre.

* Nerds will be nerds – Dizem que Isaac Newton e Emmanuel Kant nunca transaram. Nem entre eles, nem com mais ninguém…o que explica todo o tempo que tiveram para escrever aquela pataquada toda como lei da gravidade e tratados da putaqueopariu.

* Goethe tinha ejaculação precoce. Não me perguntem como é que descobriram isso.

* A mulher de James Joyce, Nora Bernade, dizia em alto e bom som que o marido não entendia lhufas de mulheres. Dizem ainda que Joyce gostava de Wando e que mantinha calcinhas no bolso do paletó, para cheirá-las de vez em quando. Calcinhas sujas.

E para fechar com chave de pêlos, digo, de ouro:

* Vocês sabia que existiam perucas púbicas? Pois é, no alto do século 17, as mulheres que achavam que a perseguida precisava de um pouco mais de…volume, criaram as ditas que acabaram se chamando bowser. Havia de várias cores, com fitinhas e lacinhos. Coisa de inglês. E olha que inglês nem gosta de sexo!

* (Pesquisa feita através de fontes diversas, desde números antigos da Revista Nova até alguns sites de curiosidades da Internet)

Anúncios